Chefe da Microsoft Xbox, Phill Spencer acredita cada vez menos nos exclusivos

O chefe do Xbox Phil Spencer espera que o número de jogos exclusivos da plataforma diminua nos próximos anos. Em entrevista à Bloomberg, Spencer disse que a disponibilização de jogos em vários sistemas era melhor para a saúde a longo prazo da indústria do que produtos vinculados a uma única plataforma. Exclusivos de console são “algo que veremos cada vez menos”, previu o chefe de jogos da Microsoft .

“Talvez você em sua casa compre um Xbox e eu compre um PlayStation e nossos filhos queiram jogar juntos e eles não podem porque compramos o pedaço de plástico errado para conectar à nossa televisão”, disse Spencer.

“Nós realmente amamos poder trazer mais jogadores para reduzir o atrito, fazendo com que as pessoas se sintam seguras quando estão jogando, permitindo que encontrem seus amigos, joguem com seus amigos, independentemente de qual dispositivo. Acho que a longo prazo isso é bom para esta indústria.”

“E talvez, no curto prazo, haja algumas pessoas em algumas empresas que não amam. Mas acho que, à medida que superamos a dificuldade e vemos onde essa indústria pode continuar a crescer, isso prova ser verdade.”

Spencer estava falando no contexto da proposta de aquisição de US$68,7 bilhões pela Microsoft da editora de Call of Duty, Activision Blizzard, que está sendo examinada por reguladores preocupados com possíveis problemas antitruste durante um período de crescente consolidação na indústria de jogos.

Em sua primeira resposta à proposta de aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft, publicada em janeiro, a Sony, fabricante do PlayStation, disse que espera que os jogos Call of Duty permaneçam multiplataforma devido a “acordos contratuais”. Spencer posteriormente confirmou sua intenção de manter Call of Duty nas plataformas PlayStation caso a aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft seja concluída.

No entanto, mais tarde foi alegado que a Activision Blizzard está contratualmente comprometida em lançar apenas os próximos três jogos Call of Duty para consoles PlayStation  incluindo Modern Warfare 2 deste ano. A Microsoft recentemente reiterou sua alegação de que não tem planos de tornar Call of Duty um exclusivo do Xbox caso adquira com sucesso a Activision Blizzard.

Em um documento enviado ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica do Brasil discutindo a aquisição proposta, alegou que quaisquer preocupações de que Call of Duty não apareceria mais no PlayStation após a aquisição são infundadas.

“Independentemente de quão surpreendente seja a crítica da Sony à exclusividade de conteúdo (dado que toda a estratégia do PlayStation foi centrada na exclusividade ao longo dos anos) a realidade é que a estratégia de reter os jogos da Activision Blizzard ao não distribuí-los em lojas de console rivais simplesmente não seria lucrativa. para a Microsoft”, disse a empresa.

No entanto, dada a sua popularidade talvez incomparável nos consoles Xbox e PlayStation, Call of Duty é uma fera única. No ano passado, a Microsoft adquiriu a ZeniMax Media, controladora da Bethesda, em um acordo de US$7,5 bilhões. Após a conclusão da aquisição, Spencer disse que entregar jogos exclusivos para plataformas que suportam o Xbox Game Pass foi a principal razão pela qual buscou a aquisição .

Os jogos Starfield e Redfall da Bethesda serão lançados exclusivamente para Xbox Series X/S e PC no primeiro semestre de 2023, e Elder Scrolls 6 também não estará disponível para consoles PlayStation quando for lançado.

Mas e qual a sua opinião sobre os exclusivos e os multiplataformas? Deixe aqui com a GAMER_na_real o seu comentário!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
O que achou desta notícia? Comente...x