Guerra entre Russia e Ucrânia está se refletindo no mundo dos games e entretenimento

É de conhecimento mundial que a situação de guerra entre a Rússia e a Ucrânia está cada vez mais tensa. E se engana quem pensa que isso não se reflete no mundo dos vídeo games. O vice-primeiro-ministro da Ucrânia pediu ao Xbox e PlayStation para encerrar temporariamente o suporte nos mercados russo e bielorrusso, após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Em uma carta aberta publicada no Twitter, Mykhailo Fedorov pediu aos detentores da plataforma que “bloqueiem todas as contas russas e bielorrussas, interrompam temporariamente a participação de equipes e jogadores russos e bielorrussos em todos os eventos internacionais de esports”.

Em uma mensagem endereçada ao Xbox e PlayStation, o vice-primeiro-ministro escreveu: “Para todas as empresas de desenvolvimento de jogos e plataformas de esports, a Federação Russa realizou um ataque militar enganoso e ultrajante ao meu país! Imagine, em 2022, mísseis de cruzeiro atacarem bairros residenciais, jardins de infância e hospitais no coração da Europa.”

A carta continua: “precisamos do seu apoio em 2022, a tecnologia moderna é talvez a melhor resposta para os tanques, lançadores de foguetes múltiplos e mísseis. Tenho certeza de que você não apenas ouvirá, mas também fará todo o possível para proteger a Ucrânia, a Europa e, finalmente, todo o mundo democrático de uma sangrenta agressão autoritária, e apelo para bloquear temporariamente todas as contas russas e bielorrussas, interromper temporariamente a participação de equipes e jogadores russos e bielorrussos em todos os eventos internacionais de esports e cancelam eventos internacionais realizados no território da Rússia e da Bielorrússia.”

Na carta, Fedorov finaliza dizendo: “Temos certeza de que tais ações motivarão os cidadãos da Rússia a interromper proativamente a vergonhosa agressão militar.” Fedorov também pediu à Riot Games, Electronic Arts, Ubisoft e Wargaming que fechem seus escritórios na Rússia. Ele escreveu: “Não há lugar para agressor no mapa tecnológico global!”

Embora nem a Sony nem a Microsoft tenham respondido à carta, as empresas da indústria de jogos estão reagindo à guerra em andamento na Ucrânia. Na quarta-feira, a Sony anunciou uma doação de 2 milhões de dólares ao ACNUR (Agência da ONU para Refugiados) e à ONG internacional Save the Children, “para fornecer ajuda humanitária às populações afetadas na Ucrânia e países da região”. A empresa também planeja conectar doações de funcionários da Sony e igualar o valor arrecadado, disse.

A Microsoft, empresa controladora do Xbox, ainda não respondeu, no entanto, delineou seus planos para ajudar a combater ataques cibernéticos contra a Ucrânia em um post publicado na semana passada.

A desenvolvedora do jogo anti-guerra This War of Mine anunciou na semana passada que doaria alguns lucros obtidos com o jogo para a Cruz Vermelha Ucraniana. E Embracer Group , CD Projekt Red e Ubisoft publicaram mensagens de apoio à Ucrânia, com os dois primeiros se comprometendo a doar para os esforços de ajuda humanitária.

Na indústria cinematográfica, a Sony Pictures, a Warner Bros e a Disney retiraram filmes de lançamento na Rússia, incluindo o próximo The Batman. A FIFA, órgão regulador do futebol, proibiu a Rússia de participar das próximas partidas das eliminatórias da Copa do Mundo. A UEFA também retirou as equipes russas das suas competições. 

Qual a sua opinião sobre a posição da indústria de games e entretenimento diante a guerra que está acontecendo? Deixe seu comentário com a GAMER_na_real!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
O que achou desta notícia? Comente...x