Além de suas indicações, a Activision Blizzard não fará parte do evento, considerado um dos maiores para divulgação de jogos

No último sábado, em uma postagem no Twitter, o apresentador do The Game Awards Geoff Keighley afirmou a ausência da Activision Blizzard do evento anual The Game Awards, que será realizado de forma presencial no dia 09 de dezembro, em Los Angeles.

“Além de suas indicações, posso confirmar que a Activision Blizzard não fará parte do Game Awards deste ano”, disse Keighley. “O Game Awards é um momento de comemoração para esta indústria, a maior forma de entretenimento do mundo. Não há lugar para abuso, assédio ou práticas predatórias em qualquer empresa ou comunidade“.

Também sei que temos uma grande plataforma que pode acelerar e inspirar mudanças. Estamos comprometidos com isso, mas todos precisamos trabalhar juntos para construir um ambiente melhor e mais inclusivo para que todos se sintam seguros para construir os melhores jogos do mundo. Todos nós somos responsáveis ​​por este padrão”.

Geoff Keighley

A declaração de Keighley vem após algumas críticas após uma entrevista que ele cedeu na sexta-feira, na qual ele parecia indeciso sobre se a Activision Blizzard deveria estar envolvida no programa. Durante essa entrevista, Keighley explicou que embora apoiasse as pessoas que faziam alegações de assédio e discriminação contra a empresa, ele também queria celebrar os desenvolvedores de jogos que estavam fazendo.

“Queremos apoiar funcionários e desenvolvedores”, disse Keighley durante a entrevista. “Temos que pensar com muito cuidado sobre como proceder aqui.” Porém, parece que sua postura mudou desde então, e os jogos da Activision Blizzard não serão apresentados como parte do show.

A Activision Blizzard há algum tempo vem sofrendo denuncias de assédio e discriminação, o que causou grandes repercussões e protestos, além de queda de faturamento, demissões em massa e troca de presidentes e desenvolvedores. Entretanto a empresa continua não conseguindo lidar de forma concreta com os casos, e vem sofrendo cada vez mais consequências.

No mês passado, uma reportagem do Wall Street Journal alegou que o CEO Bobby Kotick estava ciente de várias alegações de má conduta sexual na Activision Blizzard , e também o acusou de maltratar pessoalmente várias funcionárias.

A Activision Blizzard está enfrentando atualmente várias investigações regulatórias sobre alegações de agressões sexuais e assédio a funcionárias, muitas das quais centradas na Blizzard, desenvolvedora de World of Warcraft . No entanto, o relatório do Wall Street Journal afirmou que casos de agressão sexual e maus-tratos têm sido generalizados na empresa, inclusive nos estúdios de desenvolvimento Treyarch e Sledgehammer Games, onde Call of Duty é produzido.

Bobby Kotick

Após o relatório, o chefe da Nintendo of America, Doug Bowser , o chefe do PlayStation, Jim Ryan e o chefe do Xbox, Phil Spencer, todos enviaram e-mails separados para suas respectivas equipes expressando preocupação com a resposta da Activision às alegações de assédio sexual. Kotick teria dito aos gerentes seniores que estaria disposto a renunciar se não pudesse “consertar rapidamente” os problemas culturais da empresa.

Entretanto, o The Game Awards segue sem os anúncios da Blizzard, em um show que será produzido no Microsoft Theatre, com direito à orquestra, platéia, convidados famosos, premiações e muitas novidades em produções de games eletrônicos.

E você, o que achou da decisão da The Game Awards? Vai acompanhar a premiação? Comenta abaixo para a GAMER_na _real!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
O que achou desta notícia? Comente...x