Dono de uma criatividade imensa, Hideo Kojima quer produzir jogos que mudam conforme a realidade, o tempo e o pensamento do jogador.

Criador de jogos de sucesso como Death Stranding e Metal Gear, além do trailler jogável de Silent Hills PT (que acabou não evoluindo em jogo completo), Hideo Kojima é considerado uma das mentes mais brilhantes quando o assunto é produzir jogos.

Agora que é dono do seu próprio estúdio, a Kojima Productions Co., Hideo pode criar livremente e arriscar em ideias inovadoras no mundo dos jogos. E a proposta mais recente do produtor é bem interessante.

Hideo Kojima: um dos melhores desenvolvedores de games da atualidade.

Na última semana, em uma entrevista a revista japonesa Anan onde falou de seus planos para o futuro do estúdio, Kojima falou sobre um de seus projetos que estava desconhecido até então pelo público. “O que eu quero fazer são jogos que mudam em tempo real” – declarou o desenvolvedor. “Até quando finalmente conseguimos pessoas de várias idades e ocupações no mundo todo jogando o mesmo jogo, todos, e eu quero dizer todos mesmo, estão jogando a mesma coisa.”

A ideia de Kojima é conseguir criar um game que mude de acordo com a vivência da pessoa que está jogando. “Em vez disso, eu quero fazer algo que mude baseado em onde uma pessoa vive, ou como ela pensa.”

Essa não é uma ideia inédita. Temos diversos games que mudam dependendo da forma que o jogador joga, desde títulos mais explícitos – permitindo escolhas no diálogo, por exemplo – até games que fazem isso de maneira mais sutil.

Jogos de realidade aumentada são exemplos de jogos que se adaptam ao ambiente. A mecânica básica dos games não muda, mas os mapas sim – com base na localização geográfica do jogador, como acontece por exemplo em Pokémon GO ou títulos similares.

Kojima usou o exemplo de Boktai: The Sun is in Your Hand, um jogo de 2003 para o Game Boy Advance, onde um sensor de luz no cartucho permitia que o software determinasse a altura do dia em que estávamos, alterando o conteúdo e encorajando as pessoas a jogarem à luz do sol.

“Como a quantidade de luz solar é aplicada no jogo para derrotar os vampiros, o jogo muda dependendo de onde você jogou e a que horas jogou”, explicou Kojima. “Busco para o futuro uma mecânica como essa, que conecta sistemas feitos pelo homem e a vida real. Gostaria de algo que mudasse com base em onde a pessoa mora ou no que ela pensa”, explicou, ainda que de um jeito misterioso e vago.

Sabemos que Hideo Kojima é sempre bastante ambicioso em suas ideias e conceitos, e seu sucesso na hora de transformá-los em realidade varia de acordo com as opiniões de quem joga. Então só esperando mesmo pra ver como seria um game assim, feito pelas mãos do líder da Kojima Productions.

Norman Reedus, ator que deu papel ao Sam em Death Stranding e Hideo Kojima

Por enquanto o que podemos esperar com certeza é o lançamento do segundo game do Death Stranding, o Director’s Cut, que será lançado dia 24 de setembro para Playstation 4 e Playstation 5 e já promete ser um sucesso de vendas.

E você que é GAMER_na_real, como imagina que seria um jogo com essa mecânica prometida pelo Kojima? Deixa sua opinião aí nos comentários!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
O que achou desta notícia? Comente...x